Porto de Antuérpia investe no porto brasileiro de Açu

O porto de Antuérpia acaba de assinar um contrato para investir no porto de Açu, com o qual já mantém relações comerciais, e em cuja Administração poderá vir a ter um assento. Do lado belga, o negócio é justificado com a posição estratégica do porto brasileiro, próximo de campos de gás e petróleo e na principal zona económica do Brasil.

Porto de Açu

A Port of Antwerp International (PAI), uma subsidiária do porto de Antuérpia, vai investir cerca de 8,5 milhões de euros no porto de Açu, uma estrutura portuária privada em São João da Barra, no Brasil, anunciou o World Maritime News. O acordo prevê que o investimento se faça pela subscrição de títulos emitidos pela Prumo Logística, que opera e desenvolve o porto, informam outros meios de comunicação.

O investimento incide na Porto do Açu SA, subsidiária da Prumo Logística e responsável por operações no Terminal Multicargas (T-MULT) e aluguer de áreas naquele complexo portuário. Conforme o acordo, a PAI deterá 1,176% do capital social da Porto do Açu SA, contará com um lugar no Conselho de Administração da subsidiária e manterá uma opção de investimento de mais 8,5 milhões de euros após 18 meses, podendo ampliar a sua participação do PAI para 2,352%, referem outros meios de comunicação. É igualmente referido que durante 10 anos, o porto de Antuérpia prestará serviços de consultoria à Prumo Logística, pelos quais receberá 6,6 milhões de euros.

De acordo com Jacques Vandermeiren, CEO do porto da Antuérpia, a decisão deste investimento está relacionada com a proximidade do porto de Açu de importantes campos de petróleo e gás e com o êxito daquela estrutura portuária. Está também relacionada com o interesse do porto de Antuérpia em reforçar a sua presença na América Latina e com a localização do porto brasileiro na que é considerada a principal zona económica do país – o sudeste.

O porto de Açu já é um importante parceiro comercial do porto belga. Entre si, movimentam anuamente 6,4 milhões de toneladas de carga, e o Brasil é o sexto maior parceiro comercial do porto de Antuérpia, segundo referem vários meios de informação. Por si só, o porto de Aço movimenta anualmente 210 milhões de toneladas de mercadoria, no âmbito do comércio internacional.

O porto brasileiro começou a ser construído em 2007 e iniciou operações em 2014, tem uma área de 130 quilómetros quadrados, segundo o World Martime News (outras fontes referem 120 quilómetros quadrados ou um pouco menos), dos quais cerca de um terço são reserva natural, e um potencial para operar um cais com 17 quilómetros e profundidade máxima de 25 metros. E tem capacidade para acolher grandes navios, como os capesize e os very large crude carriers (VLCC), refere o jornal.

Fonte: Jornal da Economia do Mar